Português
English
 

5 dicas para escolher o seu MBA

5 dicas para escolher o seu MBA

Revista QB

por Caroline Sassatelli em 30/05/19

Escolher uma pós-graduação nunca é uma tarefa totalmente fácil. Entre todas as opções é importante que você tenha em mente qual o seu objetivo e pretensão profissional. Se sua intenção é focar em gestão, negócios e empresa, o seu caminho é fazer um MBA (Master in Business Administration). Mas, afinal, como encontrar o curso ideal?

Você sabe o que fazer antes de escolher o seu MBA?

Alessandra Costenaro Maciel, Diretora de Comunicação da Anamba (Associação Nacional de MBA), dá algumas dicas para ter sucesso nessa missão.

Confira abaixo:

  1. MBA x pós-graduação

Segundo a especialista, primeiro de tudo é importante que o estudante saiba qual é a diferença entre um MBA e uma especialização. Isso é essencial para evitar que ele jogue dinheiro fora ou fique frustrado com o curso.

A especialização é voltada para quem tem vontade de complementar seu conhecimento em áreas específicas. Ela funciona como uma extensão do aprendizado. Já o MBA é mais indicado para profissionais que procuram por um cargo de gestão ou executivo na empresa que trabalham ou querem iniciar seu próprio negócio.

  1. O curso está regularizado?

Antes de fazer sua matrícula, o aluno deve fazer uma pesquisa para confirmar o credenciamento da faculdade ou universidade junto ao Ministério da Educação (MEC). A nota fiscal das mensalidades devem conter os dados dessa instituição, incluindo nome e CNPJ. Essa consulta pode ser realizada pelo próprio site do MEC.

Lembre-se que é comum que instituições de ensino superior (IES) façam parcerias com outras que são as emissoras dos certificados de conclusão da pós-graduação. Essas faculdades ou universidades certificadoras devem ter autorização junto ao MEC para oferecer os cursos de pós-graduação.

  1. Procure por referências

Existem associações e outras entidades que emitem certificados de qualidade aos cursos de MBA brasileiros. “A Anamba, por exemplo, é nacional mas segue um padrão internacional. Adaptamos essa avaliação para um cenário mais parecido com o brasileiro, porém, respeitando os critérios de qualidade já estabelecidos”, diz Alessandra.

Além disso, a entrevistada também sugere que sejam consultados rankings que avaliam as IES no Brasil. Um exemplo é o RUF (Ranking das Universidades do Brasil), divulgado pelo jornal Folha de São Paulo, e o Guia do MBA, mantido pelo Estado de S. Paulo.

Como a escola está sendo avaliada no mercado educacional e por seus ex-alunos é muito importante. Da mesma forma que é essencial certificar-se se a IES possui convênios com empresas, se traz executivos para contar suas experiências aos atuais alunos, se faz projetos de consultoria empresarial e se os recrutadores de RH procuram seus alunos para processos seletivos.

  1. Pesquise quais são os professores

 As faculdades e universidades costumam disponibilizar qual é o seu quadro docente em determinados cursos. Antes de escolher o MBA ideal, faça uma pesquisa para saber qual é o currículo dos professores. É importante que o curso seja ministrado por quem atua no mercado e que tem experiência sobre o assunto estudado. Nada melhor do que aprender com quem realmente manja do que está falando, né?

  1. Selecione os cursos e conheça a instituição antes

 Antes de chegar a uma definição, selecione dois ou mais cursos ou instituições para comparar. Se a dúvida é sobre o que estudar, coloque na ponta do lápis o que deseja aprender, qual é a grade de aula e como aquele MBA poderá agregar ao seu momento profissional.

Por outro lado, se você está em dúvida sobre qual faculdade ou universidade fazer, mesmo depois de analisar sua estrutura e reputação no mercado, marque um bate-papo com o coordenador do curso em cada uma das instituições. O ideal é selecionar entre dois e três “finalistas” para visitá-los e conhecer sua estrutura e localização . “É muito bom marcar essa conversa com o coordenador para tirar dúvidas, pedir, por exemplo, uma lista de ex-alunos para conversar e, assim, pedir uma avaliação de quem realmente fez o curso”, sugere Alessandra.

 

Comentários estão fechados.