Português
English
 

Fórum de gestores de MBA promove debates sobre inovação no ensino e melhorias nos cursos do País

Evento que aconteceu na quinta-feira (19), em São Paulo, foi uma iniciativa da Universia Brasil, em parceria com a ANAMBA e apoio da Bloomberg.

A educação tem um papel fundamental em cenários de transformação, como o que vivemos neste momento em nosso País. Por isso, nesta quinta-feira (19), gestores, educadores e especialistas em cursos de MBA (Master Business Administration) se reuniram no hotel Radisson Blu, em São Paulo, para discutir formas de diferenciar e inovar os programas oferecidos atualmente pelas instituições.

O Fórum de Gestores de MBA 2016, organizado pela Universia Brasil, em parceria com aANAMBA (Associação Nacional de MBA) e apoio da Bloomberg, contou com palestras e workshop que proporcionaram a troca de experiências entre os participantes sobre temas como gestão, métodos de ensino, inovação e união entre prática e conhecimento.

Para o professor Silvio Abrahão Laban Neto, coordenador geral dos programas de MBA do Insper, diretor executivo da ANAMBA e chairman do evento, o encontro teve como objetivo proporcionar um espaço para o compartilhamento de ideias. “Nós teremos alunos que já fizeram cursos de MBA, abordando como os programas os ajudaram a navegar por esse novo contexto. Depois vamos ver a jornada do aluno e como ele é impactado com as conexões que a escola faz com o mundo real […] e o que pode ser feito dentro da sala de aula como ferramenta de engajamento”, explicou o professor durante o discurso de abertura.

Em um terceiro momento do evento, foi realizado um workshop para proporcionar a troca de ideias sobre o que fazer além da sala de aula para aumentar o engajamento dos alunos, a atratividade dos cursos e causar o maior impacto possível na vida dos estudantes e, consequentemente, no mercado.

Segundo Luiz Cabañas, diretor-geral da Universia Brasil, o evento faz parte do pilar de formação da Universia. “O nosso papel é criar um espaço acadêmico, para que possamos ter debates, troca de ideias e informações sobre o setor, agregando valor, apoiando seu desenvolvimento e fazendo com que o ensino superior no Brasil cresça”, comenta Cabañas.

A contribuição do MBA para os alunos

A primeira palestra do programa deu voz aos alunos, para que compartilhassem suas experiências e contribuíssem com feedbacks e sugestões. “As escolas querem ouvir os clientes, sobretudo, quem já fez um curso de MBA, para aprimorar os seus programas e viabilizar a sua colaboração no mundo corporativo”, disse Armando Dal Colleto, ex-presidente da ANAMBA E consultor em gestão acadêmica e moderador da primeira discussão.

Edison Audi Kalaf, sócio da Opus Software e ex-aluno de MBA do Insper, foi um dos convidados a compartilhar sua experiência. Para ele, sua vida profissional pode ser dividida entre antes e depois do curso. “Se não tivesse feito o MBA, meus resultados na carreira teriam sido inferiores aos que eu conquistei”, salienta Kalaf.

O responsável pela operação do CRM da Bristol-Myers Squibb na América Latina, Marcelo da Silva Fogaccia, formado pelo MBA internacional da FIA, contou que era um pouco cético em relação ao retorno financeiro proporcionado pelo curso, e que entrou no programa com o intuito de ganhar conhecimento formal. No entanto, Marcelo foi surpreendido. “Tive um retorno financeiro de cem por cento do meu salário”, disse o empresário.

Quando questionados sobre as melhorias que podem ser implementadas nos cursos, Rodrigo Pinto, vice-presidente Brasil da Ametek e Alumni da Katz, abordou a necessidade de proporcionar um casamento entre o projeto pessoal do aluno e o programa de MBA. Além disso, segundo ele, é fundamental que o estudante tenha um nível mais consolidado de experiência em sua área. “Um aluno novo pode não estar preparado para o curso e se frustrar. As escolas precisam ter tato para mostrar isso”, opina. Alexandre Cristiano Rosaneli, CEO da Keymind e ex-aluno da IESE, concorda que o curso deve ser frequentado por profissionais mais experientes. “ Tem que ter estrada para ter uma boa troca com os colegas”, opina.

Integrando mercado e academia

Na segunda palestra do evento, os responsáveis por cursos de MBA de destaque no cenário nacional foram convidados para falar sobre a integração de questões do mundo real à academia.Henrique de Campos Junior, diretor financeiro da ANAMBA, fez a abertura das apresentações, seguido pelos palestrantes José Cláudio Securato, CEO da Saint Paul Escola de Negócios, Tatsuo Iwata, pró-reitor de pós-graduação Lato Sensu e extensão da ESPM, e Edson Barbero, professor de MBA da FIA e coordenador do Centro de Empreendedorismo da FECAP.

De forma geral, os convidados abordaram práticas de inovação do ensino que têm sido utilizadas em sala de aula, como o método do caso, em que são discutidos problemas reais de empresas atuantes no mercado e as soluções possíveis para essas questões.

Também foram abordadas outras formas de trazer a realidade para dentro do ambiente acadêmico e para melhorar a qualidade dos cursos. Entre elas está a necessidade de sistemas de ensino mais práticos, melhores métodos de seleção de alunos e até uma possível remuneração de trabalhos feitos pelos estudantes.

Desafios em sala de aula

A última palestra foi ministrada pelo professor Silvio Abrahão Laban Neto e por Leandro José Morrilhas, professor de pós-graduação, pesquisa e extensão da Fundação Instituto de Administração (FIA). Os dois apresentaram ideias e soluções para os novos desafios encontrados dentro da sala de aula, levando exemplos de técnicas utilizadas por eles em seus cursos.

Para Morrilhas, metodologias ativas e contextualização do conhecimento são dois exemplos de boas práticas de ensino, já que estimulam a participação dos alunos, o trabalho em equipe e a preparação prévia dos estudantes paras as aulas.

O diretor executivo da ANAMBA, Silvio Laban, também defendeu o uso de tecnologias e dispositivos, como o smartphone, para aumentar a interação. “Esses métodos mantêm a atenção e o engajamento dos alunos durante a aula, promovem interação e criam um ambiente seguro para os alunos tímidos participarem”, explica o professor.

Workshop e troca de experiências 

No último momento do fórum, a diretora da área de comunicação, eventos e pesquisas da ANAMBA e coordenadora da pós-graduação Lato Sensu da IMED School, Alessandra Costerano Maciel, juntou-se à executiva e diretora do programa do MBA Executivo do IESE Business School no Brasil, Érica Rolim, para comandar um workshop sobre recursos oferecidos além da sala de aula. A atividade proporcionou um momento de integração entre os participantes, que puderam debater projetos e sugestões, além de trocar ideias de métodos com os colegas.

Comentários estão fechados.